DANIEL FERREIRA     CRIAÇÃO + PESQUISA
Autoria Procedural: Playing Beowulf pesquisa

Criação Procedural

Playing Beowulf é um projeto sobre o uso da programação de jogos em educação, baseado no London Knowledge Lab (Institute of Education UCL). Parte da minha pesquisa atual de doutorado foi desenvolvida dentro deste projeto, no qual trabalhei sob orientação do Prof. Andrew Burn e da Dra. Alison Gazzard.

Neste post eu descrevo o projeto e as minhas atividades durante este período.

Pesquisa “Sanduíche”

Minha pesquisa de doutorado foi sobre o uso expressivo do meio digital. Ela fez parte do programa de Artes Visuais na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) (post).

Em Outubro de 2014 fui para Londres trabalhar nos aspectos mais práticos deste estudo, integrando a equipe de pesquisa e desenvolvimento do projeto Playing Beowulf. Esta pesquisa “sanduíche” teve duração de um ano (ou três “termos” acadêmicos no Reino Unido) e foi financiada pela bolsa do programa Ciência Sem Fronteiras (CNPq).

Durante este período eu produzi três artigos – dois baseados na minha participação nos workshops do projeto, e um texto mais longo explorando os aspectos mais teóricos do estudo. Também participei ativamente das reuniões e discussões em torno do projeto e apresentei ele em uma conferência. A seguir eu elaboro um pouco sobre estas atividades.

Playing Beowulf

O projeto Playing Beowulf (ou “Jogando Beowulf”) envolve o desenvolvimento de MissionMaker, um aplicativo para criação de jogos baseados no poema anglo-saxão Beowulf (wikipedia).

O aplicativo deve ser usado em escolas e universidades, bem como museus e bibliotecas, tanto como uma abordagem alternativa à leitura do texto original, quanto como uma forma de aprender sobre criação de jogos, programação e autoria procedural de uma maneira geral.

Playing Beowulf é parte do programa Digital Transformations, financiado pela Arts and Humanities Research Council UK. Parceiros incluem: British Library, University of Sydney e GameCity.

Nota: uma versão digital do manuscrito original de Beowulf está disponível no site da Biblioteca Britânica (British Library) aqui.

A Ferramenta

MissionMaker permite a criação de jogos compostos de diferentes ambientes, objetos e personagens, bem como a definição de regras, comportamentos e propriedades para estes elementos. A ferramenta se distingue da maioria dos outros aplicativos similares por conta da sua estrutura particular, que permite mesmo a novos usuários criarem jogos completos e totalmente jogáveis quase imediatamente. Daí em diante, é possível customizar e adicionar novos elementos gradualmente, à medida que a interface e as funcionalidades da ferramenta são exploradas pelo usuário. Esta abordagem torna o MissionMaker particularmente adequado para propósitos educacionais.

Game created in MissionMaker

Jogo criado no MissionMaker

Uma nova versão de MissionMaker está atualmente sendo desenvolvida, com funcionalidades adicionais, incluindo um sistema de lógica mais sofisticado, que permitirá a autoria de sistemas e comportamentos mais complexos. Esta nova versão também incluirá conteúdo específico na temática do universo de Beowulf, como personagens, locais, objetos, imagens e sons (leia mais sobre esta nova versão aqui – em inglês).

Abel Drew faz demo no LKL (Fev. 2015)

Abel Drew faz demo no LKL (Fev. 2015)

Workshop Piloto

O workshop piloto do projeto Playing Beowulf aconteceu no IOE em Outubro de 2014, principalmente para estudantes do programa de Inglês e Drama. Eles foram estimulados a explorar o poema épico Beowulf, analisando e discutindo o texto, sua linguagem, estrutura narrativa e temas, bem como a forma como personagens, ambientes e situações são representadas. Também foram discutidas as múltiplas adaptações do poema em diferentes meios e linguagens, incluindo arte sequencial (HQ) e cinema (como no filme animado de 2007, dirigido por Robert Zemeckis).

Beowulf (Robert Zemeckis, 2007)

Beowulf (Robert Zemeckis, 2007)

Os alunos também participaram de exercícios criativos em uma variedade de diferentes linguagens e meios, desde teatro de improviso e redação criativa até videogames, usando o MissionMaker para criar jogos baseados em certas partes do poema.

Workshop: drama and improvisation activities

Workshop: drama and improvisation activities

Workshop: game authoring in Missionmaker

Workshop: game authoring in Missionmaker

Embora os estudantes tivessem pouco tempo para cada uma destas atividades, o processo foi bastante produtivo, e levou a produções criativas ricas e interessantes. Ao final do workshop, os participantes tinham experimentado com diversas linguagens e meios, verificando na prática como cada uma permite uma perspectiva e abordagem diferente – e às vezes única – à representação e expressão.

Posteriormente entrevistei diversos participantes sobre a sua experiência no workshop, incluindo a atividade de criação de jogos. Estes diálogos, juntamente com as análises de estudo de caso dos jogos em si, resultaram em dois artigos (post).

Em Abril de 2015 apresentei este estudo juntamente com Theo Bryer e Jane Coles (IOE UCL) na conferência Storytelling in the Medieval World, na University College London (UCL) (leia mais aqui).

Fazendo Sentido da Proceduralidade

Este período de pesquisa também resultou em um artigo mais longo, intitulado The Meaning Potential of Procedurality, no qual eu elaboro alguns dos temas apresentados nos dois artigos mencionados anteriormente, e exploro em maior profundidade a análise teórica.

No texto, eu apresento considerações iniciais sobre o potencial de significação (ou sentido) da proceduralidade no meio digital, da perspectiva do designer trabalhando neste meio. A metodologia empregada é a da Análise Multimodal (ou “Multimodal Analysis”), bem como uma metodologia própria, desenvolvida por mim na pesquisa anterior em nível de mestrado (post).

Nota: todos os artigos mencionados neste post estão em inglês. Download disponível nos respectivos posts (links acima), ou na página do projeto Playing Beowulf (abaixo).

Links

– Projeto Playing Beowulf (site)
– DARE Collaborative (site)
– Prof. Andrew Burn (site)
– Dra. Alison Gazzard (perfil IOE UCL)
– Abel Drew (twitter)

[Post original em inglês: 2015/01/03. Tradução: 2015/11/19.
Atualizado junto com a versão original.]


See more blogpesquisa.

  

8 Comentários »

  1. […] Parte desta pesquisa está atualmente sendo desenvolvida no London Knowledge Lab (University College London/Institute of Education), com financiamento do CNPq (bolsa doutorado “sanduíche”) – mais informações aqui. […]

    Pingback de Expressividade Procedural | 7luas — 2015/01/05 @ 12:40

  2. […] um doutorado “sanduíche” em […]

    Pingback de Recapitulando 2014 | 7luas — 2015/01/06 @ 11:00

  3. […] em português aqui […]

    Pingback de Procedural Authorship: Playing Beowulf | 7luas — 2015/04/15 @ 09:30

  4. […] Meu poster é sobre a pesquisa que estou desenvolvendo atualmente no London Knowledge Lab (Institute of Education UCL), como parte do meu doutorado “sanduíche” no Reino Unido (leia mais aqui). […]

    Pingback de Arte e Pesquisa | 7luas — 2015/06/04 @ 06:15

  5. […] Leia mais sobre o projeto Playing Beowulf aqui. – Meu trabalho no LKL também resultou em um artigo teórico mais longo […]

    Pingback de Diálogos MissionMaker | pesquisa | 7luas — 2015/11/18 @ 15:21

  6. […] Leia mais sobre Playing Beowulf aqui. – Escrevi mais dois artigos baseados neste estudo […]

    Pingback de Fazendo Sentido da Proceduralidade | pesquisa | 7luas — 2015/11/18 @ 15:21

  7. […] sobre o uso da autoria procedural e criação de videogames no contexto de Playing Beowulf (post) e apresentei um vídeo mostrando um dos jogos desenvolvidos no workshop piloto do […]

    Pingback de O Sistema de Beowulf | pesquisa | 7luas — 2015/11/19 @ 10:45

  8. […] posts sobre Playing Beowulf, MissionMaker 2 (em breve) e minha […]

    Pingback de Unity | blog | 7luas — 2015/11/22 @ 11:06

Feed RSS para os comentários deste post. Trackbacks

Deixe um comentário