DANIEL FERREIRA     CRIAÇÃO + PESQUISA
Paulo Leminski poesia

“Aos dezessete anos todo mundo é poeta. (…) Ser poeta aos dezessete anos é fácil. Eu quero ver alguém continuar acreditando em poesia aos vinte e dois anos, aos vinte e cinco anos (…) aos sessenta anos.”

Muito tempo atrás uma amiga me mandou este vídeo do Paulo Leminski, que eu enrolei pra assistir. Não sou muito de ler poesia, mas minha amiga sabe que gosto da poesia, e que eu iria gostar das palavras do Leminsky. Leia o post completo para mais alguns trechos que gostei do vídeo.

Update: adicionei aqui mais uma caralhada de poesias que eu achei legais da compilação pop recém-lançada Toda Poesia (2013).


Ervilha da Fantasia

Eu acho que a poesia é o inutensílio. (…) Elas são a própria razão de ser da vida.

Você precisa ser tão poeta pra entender um poema quanto pra fazê-lo. Só poetas são capazes de entender poesia.

O prazer de usar a linguagem é um dos prazeres humanos maiores (…)


Toda Poesia

Uma vida é curta
para mais de um sonho


acordei bemol
tudo estava sustenido


sol fazia
só não fazia sentido


arte do chá

ainda ontem

convidei um amigo

para ficar em silêncio

comigo


ele veio

meio a esmo

praticamente não disse nada

e ficou por isso mesmo


como se eu fosse júlio plaza

prazer

da pura percepção

os sentidos

sejam a crítica

da razão


isso de querer

ser exatamente aquilo

que a gente é

ainda vai

nos levar além


poesia:1970

Tudo que eu faço

alguém em mim que eu desprezo

sempre acha o máximo


Mal rabisco,

não dá mais pra mudar nada.

Já é um clássico.


amei em cheio

meio amei-o

meio não amei-o


Condenado a ser exato,
quem dera poder ser vago,
(trecho)


sossegue coração

ainda não é agora

a confusão prossegue

sonhos a fora


calma calma

logo mais a gente goza

perto do osso

a carne é mais gostosa


haja
hoje
p/
tanto
hontem


olinda wischral

pessoas deviam poder evaporar

quando quisessem

não deixar por aí

lembranças pedaços carcaças

gotas de sangue caveiras esqueletos

e esses apertos no coração

que não me deixam dormir


depois de muito meditar
resolvi editar
tudo o que o coração
me ditar


ah se pelo menos
eu te amasse menos
tudo era mais fácil
os dias mais amenos
folhas de dentro da alface

mas não
tinha que ser entre nós
esse fogo
esse ferro
essa pedreira
extremos
chamando extremos na distância

1976

(valeu tatá pelo empréstimo do livro! ;)


Paulo Leminski nasceu em Curitiba em 24 de agosto de 1944. Entre outras coisas foi poeta, tradutor, contista, copydesk, redator, publicitário e biógrafo. Morreu em 4 de junho de 1989 devido a uma cirrose hepática. (texto copiado da descrição do vídeo citado neste post)


Outros trechos de livros:
Mate-Me Por Favor
A Figura Humana


[Post criado em 2010/05/20 e atualizado em 2013/09/18 com os trechos do livro.]


See more blog.