DANIEL FERREIRA     ART + RESEARCH

FILE 2011 resenha

Como já mencionei por aqui antes, o FILE (catálogo online no scribd) cada vez mais tem que se reinventar – se antes era um lugar com novidades na área, hoje grande parte das obras e produções já podia ser vista na internet (o que é um bom sinal).

Acho que porisso o festival está cada vez maior (além do SESI, tem obras no MASP, Conjunto Nacional, CCSP, nos metrôs – onde está o trabalho do amigo Fábio Fon – , entre outros).

Me interessou especialmente o Movie Mirrors (Ali Miharbi) e o Algorithmic Search For Love (Julian Palacz). Também tem uma curiosa (e extensa) seleção de jogos, incluindo alguns bem conhecidos, como Super Meat Boy e Every Day the Same Dream.

Das performances no Hipersonica, é sempre difícil julgar o que vai ser legal (geralmente não me agradam). Entre os filmes e curtas, achei bacana encontrar os últimos do David O’reilly. Tem umas coisas bem antigas também, como o ótimo Tyger (Guilherme Marcondes).

Espero conseguir ir nas palestras Metacriação e Composição Algorítmica (André Rangel) e Escapando ao Solipsismo (Douglas Easterly) – Easterly fala da sua pesquisa sobre inteligência artificial e comunicação corporal, e menciona o projeto Façade (Mateas e Stern).

No catalogo também tem o texto There’s Only Software, de Lev Manovich.